13 de setembro de 2009

Cair em si - Djavan

São exatamente 23:04 da noite de domingo, estou eu aqui na frente do computador sem ter o que fazer.No msn já não tem mais niguém tão importante para conversar, falta assunto,faltam minhas amigas que estudam pela manhã, falta ele. Há poucos minutos tive surto emocional, foi horrivel,um vazio no peito,um vontade de mudar tudo [isso sempre acontece],milhares de dúvidas na cabeça e quando eu verifico minha lista de contantos no msn ela ja não estava mais lá, a melhor de todas [Caroline T. ] já tinha ido dormir, então pensei, E agora? com quem vou desabafar? quem vai me dizer o que devo fazer ? . Depois que mudamos de escola percebi realmente o sentido de AMAR, acordar 06:00 da manhã abrir a janela, ver o sol e saber que não vou para escola te encontrar e dar aquele grito no portão,aquele abraço apertadissimo, isso é uma tortura.

Até hoje não consegui me acostumar em estudar longe da minha galera, de não resenhar perto da Igreja Universal depois da aula e quando chegar em casa 14:00 ouvir minha mãe reclamar, de não correr de anões e malucos que nos perseguiam. Mas como minha mãe diz: - Tudo na vida passa e a unica coisa que permanece são os sentimentos construidos ao longo do tempo.

AMO VOCÊS <3

3 comentários:

Cibele disse...

Ah, Jel. No caminho que temos que percorrer, aprendemos a amar muitas pessoas. Primeiramente, amando a nós mesmos, claro. Mas compreendemos como nosso caminho fica mais bonito e vivo com pessoas que sempre estarão lá para nos escutar e compreender. As pessoas nunca se perdem de nós... O importante é mantê-las no coração.
Beeeijo!

Lariinha Veluce disse...

Muiiitoo Fofii as postagens, o Blog amg!!! Realmente é difícil nos acostumarmos com a perda de algo que tínhamos todos os dias, todas as manhãs, mas o OTIMO nisso tudo é que a amizade de vc's a cada dia FORTACELE.. SEjam felizes seempre!! >>♥<<

Camila Ferreira. disse...

poooxa, ruinzão ficar loge dos amigos, gata. :/ sempre pensei nessa possibilidade; de uns eu me afastei, outros estão comigo [seja de manhã ou de tarde], mas os momentos de 2005 a 2008 eu jamais esquecerei, foram os melhores anos.